A história de Israel é a história do Povo de Deus, desde os patriarcas Abraão, Isaac e Jacob, com a libertação do cativeiro do Egito, a caminhada de quarenta anos pelo deserto e, depois, o tempo dos reis e dos profetas, e a expectativa constante da redenção que viria pelo Messias. Na liturgia deste domingo, acompanha-se Moisés na sua subida ao monte para falar com Deus. Através de Moisés, o Senhor  envia duas mensagens ao Povo de Israel que caminha para a terra da promessa: «Vede o que fiz no Egito para vos libertar, como vos transportei sobre as águas  e vos trouxe até mim» (Ex 19, 4); «Agora, se ouvirdes a minha voz, sereis a minha propriedade especial entre todos os povos» (Ex 19, 5). E a promessa de Deus conclui com uma afirmação: «Vós sereis para Mim um reino de sacerdotes, uma nação santa.» (Ex. 19, 6a) .

  1. Jesus, ao chegar como Messias, quis manter a dimensão comunitária que era vivida pelo povo de Israel. Para isso  foi chamando pessoas, olhou para as multidões e viu que era um rebanho sem pastor, e chamou a si todos os que andavam cansados e oprimidos. Para este novo Povo de Deus escolheu Apóstolos, exigiu condições aos discípulos que O seguiam e afirmou um mandamento novo, o mandamento do amor. Pede, então, que venham muitos operários para o campo, porque a messe é grande e os trabalhadores são poucos. Aos que O seguiam, Jesus tentará unir, levar a todos a paz, aliviar o sofrimento aos que têm dificuldades e dar um sentido espiritual a todas as vidas.
  2. A Igreja é este novo Povo de Deus. Como dirá o Concilio Vaticano II, este Povo terá como cabeça Cristo, como condição a dignidade e a liberdade dos Filhos de Deus, como regra única o amor e como projeto a felicidade no caminhar (LG, nº 9).
  3. Perguntar-se-á como nasce esta dinâmica comunitária da Igreja, Povo de Deus. Muito simplesmente pela sua fundação, Jesus Cristo, que morreu e ressuscitou. Na Carta de São Paulo aos Romanos indica-se que a missão deste novo Povo de Deus é levar a paz aos pecadores. Não são os justos que precisam de conversão. Por isso, os cristãos deverão assumir a sua missão evangelizadora, levando o Evangelho, com os seus valores, a toda a parte, à família, ao mundo do trabalho, à vida social. Assim, os cristãos tornam a Igreja sempre presente no coração do mundo.

(Mons. Feytor Pinto)

***********************************************************

«A seara é grande, mas os trabalhadores são poucos.

Pedi ao Senhor da seara que mande trabalhadores para a sua seara».

I LEITURA – Ex 19, 2-6a

«Sereis para Mim um reino de sacerdotes, uma nação santa»

Leitura do Livro do Êxodo
Naqueles dias, os filhos de Israel partiram de Refidim e chegaram ao deserto do Sinai, onde acamparam, em frente da montanha. Moisés subiu à presença de Deus. O Senhor chamou-o da montanha e disse-lhe: «Assim falarás à casa de Jacob, isto dirás aos filhos de Israel: ‘Vistes o que Eu fiz ao Egipto, como vos transportei sobre asas de águia e vos trouxe até Mim. Agora, se ouvirdes a minha voz, se guardardes a minha aliança, sereis minha propriedade especial entre todos os povos. Porque toda a terra Me pertence; mas vós sereis para Mim um reino de sacerdotes, uma nação santa’».
Palavra do Senhor.

SALMO RESPONSORIAL-Salmo 99 (100), 2.3.5 (R. 3c)

Refrão: Nós somos o povo de Deus,
as ovelhas do seu rebanho. Repete-se

Aclamai o Senhor, terra inteira,
servi o Senhor com alegria,
vinde a Ele com cânticos de júbilo. Refrão

Sabei que o Senhor é Deus,
Ele nos fez, a Ele pertencemos,
somos o seu povo, as ovelhas do seu rebanho. Refrão

Porque o Senhor é bom,
eterna é a sua misericórdia,
a sua fidelidade estende-se de geração em geração. Refrão

II LEITURA – Rom 5, 6-11

«Cristo morreu por nós, quando éramos ainda pecadores. E agora, que fomos justificados pelo seu sangue, com muito mais razão seremos por Ele salvos da ira divina»

Leitura da Epístola do apóstolo São Paulo aos Romanos
Irmãos: Quando ainda éramos fracos, Cristo morreu pelos ímpios no tempo determinado. Dificilmente alguém morre por um justo; por um homem bom, talvez alguém tivesse a coragem de morrer. Mas Deus prova assim o seu amor para connosco: Cristo morreu por nós, quando éramos ainda pecadores. E agora, que fomos justificados pelo seu sangue, com muito mais razão seremos por Ele salvos da ira divina. Se, na verdade, quando éramos inimigos, fomos reconciliados com Deus pela morte de seu Filho, com muito mais razão, depois de reconci­liados, seremos salvos pela sua vida. Mais ainda: também nos gloriamos em Deus, por Nosso Senhor Jesus Cristo, por quem alcançámos agora a reconciliação.
Palavra do Senhor.

ALELUIA – Mc 1, 15

Refrão:  -Aleluia. Repete-se

Está próximo o reino de Deus.
Arrependei-vos e acreditai no Evangelho. Refrão

EVANGELHO Mt 9, 36 – 10, 8

«Jesus, ao ver as multidões, encheu-Se de compaixão, porque andavam fatigadas e abatidas, como ovelhas sem pastor.»

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Mateus
Naquele tempo, Jesus, ao ver as multidões, encheu-Se de compaixão, porque andavam fatigadas e abatidas, como ovelhas sem pastor. Jesus disse então aos seus discípulos: «A seara é grande, mas os trabalhadores são poucos. Pedi ao Senhor da seara que mande trabalhadores para a sua seara». Depois chamou a Si os seus doze discípulos e deu-lhes poder de expulsar os espíritos impuros e de curar todas as doenças e enfermidades. São estes os nomes dos doze apóstolos: primeiro, Simão, chamado Pedro, e André, seu irmão; Tiago, filho de Zebedeu, e João, seu irmão; Filipe e Bartolomeu; Tomé e Mateus, o publicano; Tiago, filho de Alfeu, e Tadeu; Simão, o Cananeu, e Judas Iscariotes, que foi quem O entregou. Jesus enviou estes Doze, dando-lhes as seguintes instruções: «Não sigais o caminho dos gentios, nem entreis em cidade de samaritanos. Ide primeiramente às ovelhas perdidas da casa de Israel. Pelo caminho, proclamai que está perto o reino dos Céus. Curai os enfermos, ressuscitai os mortos, sarai os leprosos, expulsai os demónios. Recebestes de graça, dai de graça».
Palavra da salvação.