CAMINHAR COM A FORÇA DO ESPÍRITO – Ser cristão exige um caminho constante para atingir a perfeição a que Deus chama. É claro, que podem surgir desânimos. É normal ter consciência das próprias imperfeições; faz parte da vida aceitar os limites que a vida humana contém. É dentro destas normais dificuldades que muitas vezes surge o desânimo. Aconteceu isto com o profeta Elias. O Senhor deu-lhe, porém, o alimento retemperador e ele pôde caminhar 40 dias até ao Monte Horeb (I leitura). O mesmo acontece com o cristão, tem de libertar-se de toda a maldade, revestindo-se de todos os bens espirituais, a bondade, a compaixão, a capacidade de perdoar, a caridade, com tudo isto será mais fácil caminhar seguro para o projecto que a cada um Deus quis oferecer (II leitura). O alimento por excelência porém, é o Pão da Vida. Puderam, os que rodeavam Jesus, não o compreender, podem hoje os que estão próximos dos cristãos não o aceitar. O Pão do Céu, isto é o Corpo e Sangue de Jesus, são o alimento indispensável para a fidelidade ao projecto de Deus. Acreditar em Jesus Cristo e participar n’Ele na Eucaristia são fonte de fidelidade plena em todos os caminhos (Evangelho).

1. É longo o caminho a percorrer
Elias, como qualquer ser humano, teve momentos de desânimo. Ele profetizava, mas o povo não aceitava as mensagens que Deus lhe ordenara que proclamasse. Sentiu ser sem sentido a missão para que fora escolhido. Sentou-se à sombra de um junípero e adormeceu. Deus interpela-o com violência: “toma e come porque é longo o caminho que tens a percorrer”. Só à terceira vez Elias entendeu a mensagem, alimentou-se e caminhou até ao monte Horeb, monte de Deus. Todos os seres humanos têm momentos de desânimo, então cai-se na rotina, no desinteresse, no adormecimento, que não permitem cumprir as missões que a cada um Deus confia. O cristão tem o dever de escutar a interpelação de Deus: é longo o caminho que tens a percorrer. Cumprir o projecto de Deus supõe o alimento que pode ser a oração mas, depois, é preciso ir até ao fim.

2. Acolher a força do Espírito
Paulo, na sua Carta aos Efésios, pede aos cristãos para não contrariarem o Espírito de Deus. Propõe-lhes então, duas coisas: deixar toda a futilidade, próprias de quem não conhece Jesus Cristo, e viver a caridade radical, o que supõe a bondade, a compaixão, o perdão. Se é certo que é preciso caminhar, o caminho do cristão é feito de gestos de caridade. Para o cristão o importante é apenas o amor.

3. O Pão que dá a Vida
O capítulo 6 do Evangelho de S. João devia ser lido todo de um fôlego. Ele é constituído por três partes: a multiplicação dos pães, a recusa futura do pão material, a garantia do Pão Novo descido do céu, que é o Corpo e o Sangue de Jesus. É a promessa da Eucaristia como suporte de toda a vida cristã. Quando Jesus promete a Eucaristia, os que apenas procuram pão vão-se embora, os que procuram filosofias também o abandonam e até o próprio discípulo, Judas, considera exagerada a promessa de Jesus (cf. Jo 6, 66). Resta a questão que Jesus põe aos discípulos “também vocês me querem abandonar?”. A resposta de Pedro é de extraordinária beleza “a quem iremos Senhor, só Tu tens Palavras de Vida Eterna” (Jo 6, 68). OS DISCÍPULOS COMPREENDERAM QUE SÓ COM O ALIMENTO DA EUCARISTIA é possível caminhar até ao fim na exigência da vida cristã.

Monsenhor Vítor Feytor Pinto
*************************************************
LITURGIA DA PALAVRA:

«EM VERDADE, EM VERDADE VOS DIGO:

QUEM ACREDITA TEM A VIDA ETERNA.»

                                                                                     (Jo 6, 47)

I LEITURA – I Reis 19, 4-8

Até Elias, o profeta inflexível, pode ter um momento de desânimo. Deus envia-lhe socorro. Elias retoma o seu caminho.

Leitura do Primeiro Livro dos Reis
Naqueles dias, Elias entrou no deserto e andou o dia inteiro. Depois sentou-se debaixo de um junípero e, desejando a morte, exclamou: «Já basta, Senhor. Tirai-me a vida, porque não sou melhor que meus pais». Deitou-se por terra e adormeceu à sombra do junípero. Nisto, um Anjo tocou-lhe e disse: «Levanta-te e come». Ele olhou e viu à sua cabeceira um pão cozido sobre pedras quentes e uma bilha de água. Comeu e bebeu e tornou a deitar-se. O Anjo do Senhor veio segunda vez, tocou-lhe e disse: «Levanta-te e come, porque ainda tens um longo caminho a percorrer». Elias levantou-se, comeu e bebeu. Depois, fortalecido com aquele alimento, caminhou durante quarenta dias e quarenta noites até ao monte de Deus, Horeb.
Palavra do Senhor.

SALMO – 33 (34), 2-3.4-5.6-7.8-9 (R. 9a)

Refrão: Saboreai e vede como o Senhor é bom. Repete-se

A toda a hora bendirei o Senhor,
o seu louvor estará sempre na minha boca.
A minha alma gloria-se no Senhor:
escutem e alegrem-se os humildes. Refrão

Enaltecei comigo o Senhor
e exaltemos juntos o seu nome.
Procurei o Senhor e Ele atendeu-me,
libertou-me de toda a ansiedade. Refrão

Voltai-vos para Ele e ficareis radiantes,
o vosso rosto não se cobrirá de vergonha.
Este pobre clamou e o Senhor o ouviu,
salvou-o de todas as angústias. Refrão

O Anjo do Senhor protege os que O temem
e defende-os dos perigos.
Saboreai e vede como o Senhor é bom:
feliz o homem que n’Ele se refugia. Refrão

II LEITURA – Ef 4, 30 – 5, 2

«Não contristeis o Espírito Santo.»

Leitura da Epístola do apóstolo São Paulo aos Efésios
Irmãos: Não contristeis o Espírito Santo de Deus, que vos assinalou para o dia da redenção. Seja eliminado do meio de vós tudo o que é azedume, irritação, cólera, insulto, maledicência e toda a espécie de maldade. Sede bondosos e compassivos uns para com os outros e perdoai-vos mutuamente, como Deus também vos perdoou em Cristo. Sede imitadores de Deus, como filhos muito amados. Caminhai na caridade, a exemplo de Cristo, que nos amou e Se entregou por nós, oferecendo-Se como vítima agradável a Deus.
Palavra do Senhor.

ALELUIA – Jo 6, 51

Refrão: Aleluia. Repete-se

Eu sou o pão vivo que desceu do Céu, diz o Senhor;
Quem comer deste pão viverá eternamente. Refrão

EVANGELHO – Jo 6, 41-51

Jesus perante a incredibilidade dos seus ouvintes convida-os a seguir a Sua Palavra e a a acreditarem n’Ele que é vida.

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São João
Naquele tempo, os judeus murmuravam de Jesus, por Ele ter dito: «Eu sou o pão que desceu do Céu». E diziam: «Não é Ele Jesus, o filho de José? Não conhecemos o seu pai e a sua mãe? Como é que Ele diz agora: ‘Eu desci do Céu’?». Jesus respondeu-lhes: «Não murmureis entre vós. Ninguém pode vir a Mim, se o Pai, que Me enviou, não o trouxer; e Eu ressuscitá-lo-ei no último dia. Está escrito no livro dos Profetas: ‘Serão todos instruídos por Deus’. Todo aquele que ouve o Pai e recebe o seu ensino vem a Mim. Não porque alguém tenha visto o Pai; só Aquele que vem de junto de Deus viu o Pai. Em verdade, em verdade vos digo: Quem acredita tem a vida eterna. Eu sou o pão da vida. No deserto, os vossos pais comeram o maná e morreram. Mas este pão é o que desce do Céu, para que não morra quem dele comer. Eu sou o pão vivo que desceu do Céu. Quem comer deste pão viverá eternamente. E o pão que Eu hei-de dar é a minha carne, que Eu darei pela vida do mundo».
Palavra da salvação.