O VIVER CRISTÃO – É muito frequente as pessoas perguntarem-se o que é essencial para se viver como cristão. Sabe-se que se entra na Igreja pelo Baptismo, que ao longo da vida se aprofunda a fé pela catequese, que em cada domingo se participa na Eucaristia, que se repetem com frequência inúmeras orações, que se têm pequenos gestos de caridade. Mas será isto suficiente, para um autêntico viver cristão? A liturgia deste domingo, oferece algumas pistas para entender o que é necessário para sermos cristãos de verdade, através de uma vida marcada pelos valores do Evangelho.

S. Lucas, na página que hoje nos foi oferecida, coloca na boca dos discípulos de Jesus um pedido instante: “Senhor aumenta em nós a fé” (Lc 17). Esta súplica revela que, mesmo aqueles que viviam mais perto de Jesus ainda não sabiam o que era ter fé, uma fé em constante crescimento. O exemplo usado por Jesus para responder aos discípulos é o do grão de mostarda que é a mais pequenina das sementes, mas que constitui a capacidade de fazer maravilhas. Jesus quer dizer com isto que a fé, pequenina no seu começo, irá crescendo no cristão ao longo de toda a sua vida. Se a fé é a adesão incondicional à Pessoa de Jesus, num grande mistério de amor, ela pode crescer sempre mais, porque o amor nunca se esgota, pode ser sempre maior. De facto, a fé do cristão, a sua comunhão plena com Cristo, é o ponto de partida para a mudança radical do viver quotidiano. Para o cristão tudo o que faz tem como referência a Pessoa de Jesus. O cristão ama uma pessoa viva, não se limita a acreditar na sua doutrina, ou a viver segundo os seus preceitos. O cristão, pela dinâmica da fé, sabe que pode amar sempre mais a Pessoa de Jesus e n’Ele encontrar o sentido da própria vida. Como um “servo”, o cristão não espera recompensas, tudo o que faz, fá-lo porque ama o seu Senhor. É por isso mesmo que, motivado por este amor, se aperfeiçoa cada vez mais na forma do seu viver quotidiano.

Na Carta a Timóteo, Paulo completa as exigências do viver cristão: reanimar o dom de Deus, ter um espírito de fortaleza, caridade e moderação, dar testemunho de Jesus em toda a parte e reafirmar sempre a beleza da comunidade cristã.

Com razão já Habacuc na sua profecia fazia a distinção entre o ímpio que está centrado em si e o justo que, com o sentido da vida, se dispõe a servir os outros. No contexto da liturgia de hoje, o grande convite está em, pela fé, referir os pensamentos, as palavras, as atitudes, ao único Senhor e Mestre, Jesus Cristo Salvador.

Monsenhor Vítor Feytor Pinto

***********************************************************

“Naquele tempo, os Apóstolos disseram ao Senhor:

«Aumenta a nossa fé».”

(Lc 17, 5)

I LEITURA  – Hab 1, 2-3; 2, 2-4

«Até quando, Senhor, chamarei por Vós e não me ouvis?»  – «O justo viverá pela sua fidelidade»

Leitura da Profecia de Habacuc
«Até quando, Senhor, chamarei por Vós e não me ouvis? Até quando clamarei contra a violência e não me enviais a salvação? Porque me deixais ver a iniquidade e contemplar a injustiça? Diante de mim está a opressão e a violência, levantam-se contendas e reina a discórdia?» O Senhor respondeu-me: «Põe por escrito esta visão e grava-a em tábuas com toda a clareza, de modo que a possam ler facilmente. Embora esta visão só se realize na devida altura, ela há-de cumprir-se com certeza e não falhará. Se parece demorar, deves esperá-la, porque ela há-de vir e não tardará. Vede como sucumbe aquele que não tem alma recta; mas o justo viverá pela sua fidelidade».
Palavra do Senhor.

SALMO RESPONSORIAL – Salmo 94 (95), 1-2.6-7.8-9 (R.8)

Refrão: Se hoje ouvirdes a voz do Senhor,
não fecheis os vossos corações.  Repete-se

Vinde, exultemos de alegria no Senhor,
aclamemos a Deus, nosso Salvador.
Vamos à sua presença e dêmos graças,
ao som de cânticos aclamemos o Senhor. Refrão

Vinde, prostremo-nos em terra,
adoremos o Senhor que nos criou.
O Senhor é o nosso Deus
e nós o seu povo, as ovelhas do seu rebanho. Refrão

Quem dera ouvísseis hoje a sua voz:
«Não endureçais os vossos corações,
como em Meriba, como no dia de Massa no deserto,
onde vossos pais Me tentaram e provocaram,
apesar de terem visto as minhas obras». Refrão

II LEITURA  – 2 Tim 1, 6-8.13-14

«Não te envergonhes de dar testemunho de Nosso Senhor»

Leitura da Segunda Epístola do Apóstolo São Paulo a Timóteo
Caríssimo: Exorto-te a que reanimes o dom de Deus que recebeste pela imposição das minhas mãos. Deus não nos deu um espírito de timidez, mas de fortaleza, de caridade e moderação. Não te envergonhes de dar testemunho de Nosso Senhor, nem te envergonhes de mim, seu prisioneiro. Mas sofre comigo pelo Evangelho, confiando no poder de Deus. Toma como norma as sãs palavras que me ouviste, segundo a fé e a caridade que temos em Jesus Cristo. Guarda a boa doutrina que nos foi confiada, com o auxílio do Espírito Santo, que habita em nós.
Palavra do Senhor.

ALELUIA – 1 Pedro 1, 25

Refrão: Aleluia. Repete-se

A palavra do Senhor permanece eternamente.
Esta é a palavra que vos foi anunciada.  Refrão

EVANGELHO – Lc 17, 5-10

A fé como dom gratuito de Deus.

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Lucas
Naquele tempo, os Apóstolos disseram ao Senhor: «Aumenta a nossa fé». O Senhor respondeu: «Se tivésseis fé como um grão de mostarda, diríeis a esta amoreira: ‘Arranca-te daí e vai plantar-te no mar’, e ela obedecer-vos-ia. Quem de vós, tendo um servo a lavrar ou a guardar gado, lhe dirá quando ele voltar do campo: ‘Vem depressa sentar-te à mesa’? Não lhe dirá antes: ‘Prepara-me o jantar e cinge-te para me servires, até que eu tenha comido e bebido. Depois comerás e beberás tu’?. Terá de agradecer ao servo por lhe ter feito o que mandou? Assim também vós, quando tiverdes feito tudo o que vos foi ordenado, dizei: ‘Somos inúteis servos: fizemos o que devíamos fazer’.
Palavra da salvação.