UM NOVO ANO PASTORAL – 26 de Setembro de 2010

1. Em cada Setembro, começa sempre um novo ciclo de actividades, na vida da comunidade paroquial. As pessoas reencontram-se, partilham em conversa amiga as experiências vividas durante as férias, contam o que mais viram noutras comunidades cristãs que visitaram, e recomeçam trabalhos que ficaram parados desde Julho, data em que a comunidade se dispersou. Agora é o tempo de reunir.

  • Todos regressaram de férias, com as forças retemperadas, com ideias novas, com projectos que querem ver concretizados ao longo do ano pastoral 2010/2011.
  • Os diversos grupos começam a organizar as acções que se propõem levar a cabo. Definem objectivos, traçam planos e programas, procuram recursos humanos ou de outra natureza, marcam o calendário.
  • Cultiva-se a comunhão, uma vez que sem a unidade no amor não se consegue ser eficaz. Fala-se com os mais amigos, estreitam-se relações com os novos que chegam, dão-se as mãos no trabalho que vai ser de todos.
  • Integra-se cada iniciativa na vida e programa da comunidade paroquial. Se cada grupo tem uma certa autonomia, esse facto, longe de separar, tem de inserir as diversas iniciativas no projecto comum da paróquia. É que a Paróquia é uma comunidade de comunidades. Os pequenos grupos animam, com a sua originalidade, o grande grupo que se chama Comunidade Paroquial.

Neste Setembro, a acção pastoral está a dar os primeiros passos e todos são responsáveis pelo caminho que se vai fazer em comum.

2. Para um ano novo pastoral, tem de haver um programa comum, também este marcado pela novidade. A paróquia inspira-se no projecto trienal do Patriarcado “Assumir a Palavra de Deus como luz para a vida”. De facto, o Senhor Deus fala-nos pela Palavra, recolhida do Novo e do Antigo Testamento. Mas esta Palavra que é o próprio Cristo inunda a vida do cristão e das comunidades cristãs, como luz orientadora. O cristão tem de ter na mão sempre a Bíblia e o jornal. Se este nos relata os acontecimentos, aquela obriga a uma releitura que dá um sentido novo a todas as coisas. O Programa Paroquial, para este ano pastoral, ficou formulado desta maneira: Palavra, vida mais. O que se pretende com isto?

  • Dar prioridade absoluta à Palavra de Deus. Todos os cristãos da nossa comunidade deverão ler a Sagrada Escritura, começando pelo Novo Testamento. É preciso arranjar tempo para, diariamente, parar diante da Palavra de Deus.
  • Transformar a Palavra em vida. As páginas do Evangelho têm de influenciar a vida de família, a administração económica, os tempos de trabalho, as relações sociais, o mundo da cultura, a experiência espiritual.
  • Promover a vida dandolhe mais-valia. A vida do cristão é exigente porque está pautada pelos valores do Evangelho, a verdade e não a conveniência, a justiça e não as justificações, a liberdade e não os caprichos, o amor e não apenas o sentimento. A vida mais é a vida cristã em plenitude e sempre.

É muito feliz este slogan, mas é necessário transformá-lo em programa de vida: querer sempre chegar mais longe, ir mais além, ouvindo a voz do Mestre: “Duc in altum”, vai mais para lá!

3. É possível concretizar este programa, na organização pastoral da Paróquia. São três as grandes áreas de intervenção e em todas elas se pode ir mais longe:

  • A profecia, isto é, a evangelização, o anúncio explícito de Jesus Cristo, feito às crianças na catequese, aos jovens nos grupos, aos adultos nas tertúlias, a todos nas homilias de domingo.
  • A liturgia, isto é, o caminho para a santidade, uma preocupação constante dos cristãos na oração pessoal e comunitária, nos tempos de contemplação, nos movimentos do Apostolado de Oração e da Legião de Maria, no retiro de silêncio ou de partilha, nas grandes celebrações.
  • A sócio-caridade, isto é, o apoio social, os gestos de ternura para com os mais pobres e os que mais sofrem, com a acção do Centro Social, das Conferências de S. Vicente Paulo, do Fundo da Solidariedade.

Há outras tantas actividades que se realizam transversalmente, envolvendo todos os agentes pastorais da comunidade paroquial.

4. É tempo de arrancar com a acção pastoral organizada. Os sacerdotes estão a regressar de férias, os colaboradores do acolhimento e do Centro Social já estão nos seus postos de trabalho, os catequistas e animadores de grupo já começaram as suas actividades. Os acólitos e os leitores já retomaram a sua função, a vida da comunidade está a voltar ao normal. Ninguém nos faz parar, não há crise que nos entorpeça, não há dificuldade que se não supere. É que fomos todos movidos por uma só razão: servir com alegria a pessoa viva de Nosso Senhor Jesus Cristo.

O Ano Pastoral 2010/2011 vai ser extraordinário.

Click para Imprimir esta Página

Comments are closed.