Porta aberta 2011 (Programas de Férias)

Está a decorrer no nosso Centro Social, o programa de ocupação pedagógica para crianças e jovens ao cuidado da área...

XIII DOMINGO DO TEMPO COMUM – 26 d...

«QUEM AMA O PAI OU A MÃE MAIS DO QUE A MIM, NÃO É DIGNO DE MIM… QUEM NÃO TOMA A SUA CRUZ PARA ME SEGUIR, NÃO É DIGNO DE MIM.»        (Mat 10, 37-38) I LEITURA – 2 Reis 4, 8-11.14-16a Através do profeta Eliseu, Deus retribui a generosidade dum casal. Leitura do Segundo Livro dos Reis Certo dia, o profeta Eliseu passou por Sunam. Vivia lá uma distinta senhora, que o convidou com insistência a comer em sua casa. A partir de então, sempre que por ali passava, era em sua casa que ia tomar a refeição. A senhora disse ao marido: «Estou convencida de que este homem,...

SER CRISTÃO EM TEMPO DE CRISE – 26...

1. Quando Jesus nasceu, a sociedade do seu tempo tinha inúmeras razões de sofrimento para a população em geral. Para além do domínio romano, a que estava sujeito o povo judaico, a afirmação dos poderosos, a autoridade escravizante dos sacerdotes e dos doutores da lei, a prepotência do Sinédrio, a par da exclusão dos mais pobres, da marginalização de doentes como os leprosos, do abandono de quantos estavam feridos pela injustiça corrente, tudo isto levava à angústia e à incerteza quanto ao futuro de todo o povo que se considerava ainda o Povo de Deus. Jesus começou a...

A IGREJA DIOCESANA – 19 de Junho d...

1. É já da tradição, no Patriarcado de Lisboa, que se celebre, no Domingo da Santíssima Trindade, o Dia da Igreja Diocesana. A Igreja local é uma porção do Povo de Deus onde se exerce o tríplice ministério recebido de Cristo: a profecia, o sacerdócio e a acção social. A profecia reclama o anúncio da Palavra de Deus; o sacerdócio revive o mistério da Paixão, Morte e Ressurreição de Cristo; a acção social exige o cuidado com os mais pobres e com todos aqueles que sofrem. É grande a missão da Igreja cuja responsabilidade não cabe apenas ao Bispo diocesano, o Senhor...

MANIFESTAÇÃO DO ESPÍRITO – 12 de J...

1. Na noite do primeiro dia da semana em que Jesus ressuscitou, Ele apareceu aos discípulos que estavam reunidos no Cenáculo. Deu-lhes a paz e depois acrescentou: “Recebei o Espírito Santo. Àqueles a quem perdoardes os pecados ser-lhes-ão perdoados e àqueles a quem os retiverdes ser-lhes-ão retidos” (Jo 20, 22-23). Assim, foi no dia da ressurreição que o Senhor deu aos discípulos o Espírito Santo que lhes prometera. Jesus viveu ainda com eles durante 40 dias. Depois, no Monte da Ascensão, pediu-lhes que se mantivessem reunidos. Finalmente, no Dia de Pentecostes, o...