SANTA MARIA, MÃE DE DEUS – 1 de Janeiro de 2011

“MARIA CONSERVAVA TODOS ESTES ACONTECIMENTOS, MEDITANDO-OS EM SEU CORAÇÃO.”   (Lc 2, 19)

I LEITURA -Num 6, 22-27

A benção de Deus que é a paz.

Leitura do Livro dos Números
O Senhor disse a Moisés: «Fala a Aarão e aos seus filhos e diz-lhes: Assim abençoareis os filhos de Israel, dizendo: ‘O Senhor te abençoe e te proteja. O Senhor faça brilhar sobre ti a sua face e te seja favorável. O Senhor volte para ti os seus olhos e te conceda a paz’. Assim invocarão o meu nome sobre os filhos de Israel e Eu os abençoarei».
Palavra do Senhor.

SALMO – 66 (67), 2-3.5.6 e 8 (R. 2a)

Refrão: Deus Se compadeça de nós
                e nos dê a sua bênção.

Deus Se compadeça de nós e nos dê a sua bênção,
resplandeça sobre nós a luz do seu rosto.
Na terra se conhecerão os seus caminhos
e entre os povos a sua salvação. Refrão

Alegrem-se e exultem as nações,
porque julgais os povos com justiça
e governais as nações sobre a terra. Refrão

Os povos Vos louvem, ó Deus,
todos os povos Vos louvem.
Deus nos dê a sua bênção
e chegue o seu temor aos confins da terra. Refrão

II LEITURA – Gal 4, 4-7

«Deus enviou o seu Filho, nascido de uma mulher»

Leitura da Epístola do apóstolo São Paulo aos Gálatas
Irmãos: Quando chegou a plenitude dos tempos, Deus enviou o seu Filho, nascido de uma mulher e sujeito à Lei, para resgatar os que estavam sujeitos à Lei e nos tornar seus filhos adoptivos. E porque sois filhos, Deus enviou aos nossos corações o Espírito de seu Filho, que clama: «Abá! Pai!». Assim, já não és escravo, mas filho. E, se és filho, também és herdeiro, por graça de Deus.
Palavra do Senhor.

EVANGELHO Lc 2, 16-21

Os pastores e o presépio. «Oito dias depois», a festa dea circuncisão e a imposição do nome: Jesus.

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Lucas
Naquele tempo, os pastores dirigiram-se apressadamente para Belém e encontraram Maria, José e o Menino deitado na manjedoura. Quando O viram, começaram a contar o que lhes tinham anunciado sobre aquele Menino. E todos os que ouviam admiravam-se do que os pastores diziam. Maria conservava todos estes acontecimentos, meditando-os em seu coração. Os pastores regressaram, glorificando e louvando a Deus por tudo o que tinham ouvido e visto, como lhes tinha sido anunciado. Quando se completaram os oito dias para o Menino ser circuncidado, deram-Lhe o nome de Jesus, indicado pelo Anjo, antes de ter sido concebido no seio materno.
Palavra da salvação.

1º DE JANEIRO, DIA DA PAZ – Comentários do P.e João Resina (in a Palavra no Tempo I)

            Há dez ou quinze anos, era claro que o mundo estava cheio de violência e injustiça. Mas uma ilusão era possível: a metade Norte do planeta tinha encontrado a estrada real, capaz de proporcionar o bem-estar e a liberdade dos homens; se o hemisfério Sul continuava a sofrer, isso era consequência do atraso e o atraso seria finalmente superado. Os pensadores mais atrevidos voltavam a falar do «fim da história»; os mais prudentes mantinham que o futuro é radicalmente imprevisível, mas concediam que a Economia estava em condições de pressentir e jugular uma crise como a de 1929.
            A ilusão foi desfeita. O estado actual do mundo parece mais complicado do que esse.
            Não vou assumir a atitude beatífica de que o erro esteve, uma vez mais, em sonharmos com um saber que nos permitisse menosprezar a Providência de Deus. Acredito que Deus nos criou para sermos livres e para abrirmos caminhos. Julgo que é correcto confiar na vacina contra o tétano e procurar um tratamento e uma vacina contra a sida.
            Apelo a outras atitudes, que são humanas e são profundamente cristãs, a humildade e a prudência. Temos de reconhecer que sabemos (ainda) muito pouco. E que, por isso, precisamos de caminhar com cuidado. Mais: a actual crise económica deve pôr-nos de sobreaviso contra as possíveis crises do ambiente, da tecnologia biológica, das aplicações nucleares (um destes dias, as máfias vão ameaçar com a bomba de neutrões).
            Mas, do ponto de vista cristão, há algo que me preocupa muito mais. Desde que o mundo é mundo, as crises serviram sempre para empobrecer os pobres e para enriquecer os ricos. Durante séculos, os cristãos eram os humildes da terra. Os outros homens podiam fazer troça da Fé deles – mas eles eram o Cristo sofredor de que falava Isaías. Desta vez, ao menos na Europa, a crise encontra os cristãos no poleiro.
            Daí a urgência da pergunta: irmãos, que vamos fazer este ano?

Comments are closed.