OS JOVENS NA COMUNIDADE CRISTÃ – 17 de Abril de 2011

1. O Dia Mundial da Juventude foi instituído por João Paulo II no início do seu pontificado. O Papa escolheu o Domingo de Ramos como data ideal para esta celebração. Com ela pretendia acordar os jovens para o mistério de Jesus Cristo Salvador. Aos jovens, mais do que oferecer pontos de doutrina, é essencial apontar-lhes uma pessoa que possa ser referência em todas as opções de vida. Daí a iniciativa de João Paulo II, de indicar a todos os jovens um modelo de vida que poderia apaixoná-los. Hoje, mais do que nunca, é oportuno um desafio assim feito aos mais novos. Os jovens não são o futuro, são já o presente dum tempo novo que é urgente construir. Os jovens não são “a geração à rasca”, porque têm, como ninguém, capacidade de vencerem as dificuldades. Os jovens não vivem sistematicamente longe da fé, têm é de descobrir que ter fé é aderir incondicionalmente à Pessoa de Jesus. Foi boa a escolha de Domingo de Ramos para Dia Mundial da Juventude.

Com a entrada de Jesus em Jerusalém os jovens da cidade aclamaram-n’O como Salvador dizendo com brados de alegria “Hossana, Hossana, ó Filho de Deus vivo”.

Nos caminhos da Galileia, Jesus escolheu alguns jovens como João e Tiago para o acompanharem no anúncio da Boa Nova da Salvação.

Também João Paulo II teve uma predilecção especial pelos mais novos, ele que, nos primeiros anos do seu sacerdócio, fora capelão universitário acompanhando as novas gerações.

E, agora, os inúmeros problemas dos jovens obrigam a Igreja a conhecê-los, a acompanhá-los, a orientá-los, propondo-lhes ideais de vida que na liberdade máxima sejam capazes de viver.

O Dia Mundial da Juventude tornou-se na Igreja oportunidade de mobilização da gente nova para um compromisso cristão vivido a sério. A Pastoral Juvenil não pode ser apenas catequese, não deve ser somente convívio e festa de amigos, muito menos será uma preparação para sacramentos. A Pastoral dos Jovens, à luz do Dia Mundial da Juventude, deverá ser tempo de compromisso para verdadeira vida cristã realizada na família, na escola, no desporto, no lazer, em toda a parte. A verdadeira Pastoral Juvenil supõe a integração na comunidade cristã para a intervenção organizada na sociedade civil. Os jovens de hoje são já responsáveis pelo amanhã. Como se preparam?

2. A Jornada Mundial da Juventude foi também instituída pelo Papa João Paulo II para se se celebrar de três em três anos, no mês de Agosto. É um encontro que congrega muitos milhares de jovens aos quais o Papa dá uma mensagem de esperança. Sabe-se como a crise do Mundo afecta os mais novos. Os problemas de emprego multiplicam-se, a exclusão social é frequente, ficarem de lado na construção da cidade é quase uma norma. Foi por já se sentirem assim que os jovens de Paris criaram o Maio de 68, com um grito de revolta que acordou a cidade. Passados quase 50 anos, os jovens sentem de novo a necessidade de se manifestarem. Ainda recentemente, cerca de 300 mil, em Portugal, reivindicaram o direito de participar. Os jovens não querem que lhes resolvam os problemas, querem, com todos, participar na transformação da cidade, cidade de gente feliz. É nesse contexto que continua a celebrar-se a Jornada Mundial da Juventude. Têm sido encontros que marcam a posição dos jovens cristãos que desejam, alicerçados na fé, construir um mundo novo. A Jornada da Juventude de 2011, a realizar em Madrid, tem como grande lema “Enraizados e edificados em Cristo, firmes na fé, para a transformação do mundo”. Há Jornadas Mundiais que ficaram históricas:

Em Roma, no ano 2000, cerca de 2 milhões de jovens rodearam João Paulo II, na esperança de um milénio diferente. Foi extraordinário ver jovens apaixonados por Cristo assumir levar a Boa Nova aos seus países.

Em Colónia, em 2005, Bento XVI encontrava-se com muitos milhares de jovens europeus, convidando-os a empurrarem o mundo para a verdade, a justiça, a liberdade e o amor. Foi uma surpresa ver o Papa alemão, o professor, a envolver-se numa pedagogia de comunicação que envolveu os jovens para um compromisso de vida.
Na Austrália, em 2008, Bento XVI desafiou os mais jovens à evangelização do Extremo Oriente, centrando-os nos verdadeiros valores, só possíveis quando se supera o absoluto do ter, do poder e do prazer.

Em Madrid, de 16 a 21 de Agosto, vão estar muitas centenas de milhares de jovens, a escutar o Papa, a converter-se a Jesus Cristo, a comprometer-se numa mudança de vida que seja intervenção na cidade para que esta, agora em crise, supere as dificuldades e permita a realização plena de todos e de cada um. Da Paróquia do Campo Grande estarão também quase 100 jovens. Que eles tragam, para a nossa cidade, razões de esperança.

3. YOUCAT, é o Catecismo Jovem da Igreja Católica, que acaba de ser publicado, tendo sido apresentado na edição portuguesa pelo nosso Patriarca. Foi nos finais da década de 70 que um grupo de jovens e de sacerdotes jovens sentiram necessidade de um catecismo para os jovens. Esta preocupação, em Portugal deu origem a dois textos: “Jesus Cristo um Messias diferente” (1978), “Levanta-te e caminha” (1979). É com alegria que se vê concretizado, 30 anos depois, o sonho de uma catequese de jovens.

Catequese não é aprendizagem, é “iniciação à vida cristã” (CT 21). Os jovens, como qualquer cristão, precisam de iniciar-se nas exigências do Evangelho. Não se aprendem doutrinas, ideologias, ou princípios filosóficos. Experimenta-se um modo de vida que, inspirado no Evangelho, faz as pessoas felizes.

Os grupos de jovens cristãos não são experiências de amizade e de diversão, são espaços de exigência que convidam a uma relação de intimidade com Deus, por Cristo, e de serviço generoso aos irmãos sobretudo através da comunidade. Os grupos de jovens são ensaio da comunidade cristã e relacionam-se com a comunidade cristã.

Os objectivos da Pastoral Juvenil não se centram no indicar de regras morais que limitem a liberdade dos mais novos, mas podem trazer consigo a indicação dos grandes valores de referência que orientam opções e fundamentam compromissos.

O YOUCAT é portador de uma pedagogia que, adaptada a gente nova, pode ajudar à conversão do coração, à renovação das atitudes, e ao centrar da vida no essencial, a Pessoa de Jesus Cristo.

4. Os jovens são membros activos da Igreja. A nossa Comunidade Paroquial mobiliza, em várias iniciativas pastorais, cerca de 500 jovens. Talvez seja altura de perguntarmos como é que esta multidão de gente nova influencia as suas famílias, as suas escolas, a sociedade onde vivem, inclusivamente a comunidade cristã de que fazem parte. No Dia Mundial da Juventude os grandes desafios não devem ser postos aos jovens, mas aos adultos que os acolhem, os acompanham, e lhes criam padrões de exigência evangélica, de alegria cristã.

Comments are closed.