III DOMINGO DO TEMPO COMUM – 25 de Janeiro de 2015

«ARREPENDEI-VOS E ACREDITAI NO EVANGELHO…

…VINDE COMIGO»

                                                                   (Mc.1, 15, 17)

I LEITURA – Jonas 3, 1-5.10

Deus quer a salvação de todos os homens. Jonas é enviado a Ninive, a anunciar que Deus está indignado com os crimes dos seus habitantes e vai destruir-lhes a cidade. Jonas tem pouca devoção e tem medo. Foge para longe, mas Deus obriga-o a ir. Dirige-se então ao centro de Ninive, e dá aí o recado com precisão e dureza. Os ninivitas ouvem, e começam a fazer penitência. Deus muda de opinião e não destroi a cidade. (Pe. João Resina in “A Palavra no Tempo”)

Leitura da Profecia de Jonas
A palavra do Senhor foi dirigida a Jonas nos seguintes termos: «Levanta-te, vai à grande cidade de Nínive e apregoa nela a mensagem que Eu te direi». Jonas levantou-se e foi a Nínive, conforme a palavra do Senhor. Nínive era uma grande cidade aos olhos de Deus; levava três dias a atravessar. Jonas entrou na cidade, caminhou durante um dia e começou a pregar, dizendo: «Daqui a quarenta dias, Nínive será destruída». Os habitantes de Nínive acreditaram em Deus, proclamaram um jejum e revestiram-se de saco, desde o maior ao mais pequeno. Quando Deus viu as suas obras e como se convertiam do seu mau caminho, desistiu do castigo com que os ameaçara e não o executou.
Palavra do Senhor.

SALMO – 24 (25), 4bc-5ab.6-7bc.8-9 (R. 4a)

Refrão: Ensinai-me, Senhor, os vossos caminhos. Repete-se

Mostrai-me, Senhor, os vossos caminhos,
ensinai-me as vossas veredas.
Guiai-me na vossa verdade e ensinai-me,
porque Vós sois Deus, meu Salvador. Refrão

Lembrai-Vos, Senhor, das vossas misericórdias
e das vossas graças, que são eternas.
Lembrai-Vos de mim segundo a vossa clemência,
por causa da vossa bondade, Senhor. Refrão

O Senhor é bom e recto,
ensina o caminho aos pecadores.
Orienta os humildes na justiça
e dá-lhes a conhecer os seus caminhos. Refrão

II LEITURA – I Cor 7, 29-31

Existe a urgência máxima, a necessidade de conversão. Tudo o resto, até certo ponto se relativisa.

Leitura da Primeira Epístola do apóstolo S. Paulo aos Coríntios
O que tenho a dizer-vos, irmãos, é que o tempo é breve. Doravante, os que têm esposas procedam como se as não tivessem; os que choram, como se não chorassem; os que andam alegres, como se não andassem; os que compram, como se não possuíssem; os que utilizam este mundo, como se realmente não o utilizassem. De facto, o cenário deste mundo é passageiro.
Palavra do Senhor.

ALELUIA – Mc 1, 15

Refrão: Aleluia. Repete-se

Está próximo o reino de Deus;
arrependei-vos e acreditai no Evangelho. Refrão

EVANGELHO – Mc 1, 14-20

Jesus chama os primeiros discípulos e dá início ao Seu ministério, proclamando a Boa Nova do Evangelho.

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Marcos
Depois de João ter sido preso, Jesus partiu para a Galileia e começou a proclamar o Evangelho de Deus, dizendo: «Cumpriu-se o tempo e está próximo o reino de Deus. Arrependei-vos e acreditai no Evangelho». Caminhando junto ao mar da Galileia, viu Simão e seu irmão André, que lançavam as redes ao mar, porque eram pescadores. Disse-lhes Jesus: «Vinde comigo e farei de vós pescadores de homens». Eles deixaram logo as redes e seguiram Jesus. Um pouco mais adiante, viu Tiago, filho de Zebedeu, e seu irmão João, que estavam no barco a consertar as redes; e chamou-os. Eles deixaram logo seu pai Zebedeu no barco com os assalariados e seguiram Jesus.
Palavra da salvação.

A VOCAÇÃO DO CRISTÃO

Quando no dia de Pentecostes se reuniram, à volta do Cenáculo, 3.000 judeus motivados pela curiosidade, Pedro falou-lhes de Cristo Ressuscitado. Aquela multidão ficou surpreendida porque sabiam Pedro um simples pescador da Galileia. Como era possível agora, falar com tanta segurança de Cristo Ressuscitado. Pela convicção de Pedro, acreditaram na Ressurreição e perguntaram o que tinham que fazer. Pedro respondeu-lhes: “Reconhecei a senhoria absoluta de Jesus, não há outro Senhor, arrependei-vos das vossa culpas, deixai-vos conduzir pelo Espírito e recebam o Baptismo” (cf. Act 2, 38). Estes judeus foram os primeiros cristãos convertidos pelos Apóstolos. Tornaram-se também eles autênticos apóstolos da primeira comunidade de Jerusalém.
Neste domingo do Tempo Comum, pode recordar-se este episódio na medida em que todos têm que ser fieis à vocação a que foram chamados. Jonas tentou fugir da chamada de Deus e Deus encontrou maneira de o levar a Ninive para pregar a penitência (1ª leitura). Os primeiros Apóstolos forma chamados por Jesus quando trabalhavam no Mar da Galileia. Apesar das suas dificuldades, souberam dizer sim sem condições e foi com eles que nasceu o Colégio Apostólico (Evangelho). Responder à vocação não é fácil, porque implica sacrifício, mas este é o preço da evangelização (2ª leitura).

1. A vocação de Jonas
É conhecida a história de Jonas. Recusou o caminho que Deus lhe tinha indicado e rumou em sentido contrário àquele que o levaria a Ninive. Uma tempestade, porém, repôs o projecto de Deus. Engolido por uma “baleia” é colocado às portas de Ninive. Com ameaças disse que a cidade seria destruida 40 dias depois. Os ninivitas, porém, converteram-se e a cidade foi salva. Jonas é o exemplo típico daquele que não quer ser fiel à vocação. Por exigência de Deus acaba por cumprir a missão e é surpreendido pela eficácia da mensagem que não era dele. Os que são chamados por Deus, ainda que menos fieis, alcançam muitas vezes os objectivos porque a eficácia da evangelização não é mérito do homem é sempre dom de Deus.

2. A vocação dos primeiros Apóstolos
A mensagem que Jesus trazia parecia fácil: “arrependei-vos e acreditai no evangelho” (Mc 1, 15). Qualquer mensagem no entanto, precisa de mensageiros. Foi por isso que Jesus escolheu os primeiros Apóstolos, Pedro, André, Tiago e João. Eram homens simples, pescadores, mas eram também homens livres, pelo que deixaram tudo, o barco, as redes e o pai, para seguirem Jesus. Com razão Jesus lhes dirá, farei de vós pescadores de homens. Quando hesitarem sobre o que fazer, terão oportunidade de ouvir Jesus para irem “levar a Boa Nova aos pobres, a libertação aos oprimidos, a liberade aos cativos, a vista aos cegos, a alegria aos que sofrem” (Lc 4, 18). Jesus virá depois pedir-lhes que “em qualquer casa onde entrarem, dêm a paz” (Lc 10, 5).

3. A conversão dos cristãos
Converter-se é mudar de vida. S. Paulo na Carta aos Coríntios diz claramente que é o tempo da mudança. Só homens novos serão capazes de anunciar a novidade do Evangelho. A conversão do coração é indispensável para responder à vocação. Se a Deus compete chamar, a cada cristão compete dizer sim, sem condições. “Arrependei-vos e acreditai no Evangelho”.

Monsenhor Vítor Feytor Pinto (in Revista Liturgia Diária, ed. Paulus)

 

Comments are closed.