NASCIMENTO DE S. JOÃO BAPTISTA – 24 de Junho de 2012

«QUEM VIRÁ A SER ESTE MENINO?

NA VERDADE, A MÃO DO SENHOR ESTAVA COM ELE.»

(Lc 1, 66)

I LEITURA – Is 49, 1-6

«O Senhor chamou-me desde o ventre materno, disse o meu nome desde o seio de minha mãe. »

Leitura do Livro de Isaías
Terras de Além-Mar, escutai-me;  povos de longe, prestai atenção.  O Senhor chamou-me desde o ventre materno, disse o meu nome desde o seio de minha mãe.  Fez da minha boca uma espada afiada,  abrigou-me à sombra da sua mão.  Tornou-me semelhante a uma seta aguda, guardou-me na sua aljava. E disse-me: «Tu és o meu servo, Israel, por quem manifestarei a minha glória». E eu dizia: «Cansei-me inutilmente, em vão e por nada gastei as minhas forças». Mas o meu direito está no Senhor e a minha recompensa está no meu Deus. E agora o Senhor falou-me, Ele que me formou desde o seio materno, para fazer de mim o seu servo, a fim de Lhe restaurar as tribos de Jacob e reconduzir os sobreviventes de Israel. Eu tenho merecimento aos olhos do Senhor e Deus é a minha força. Ele disse-me então: «Não basta que sejas meu servo, para restaurares as tribos de Jacob e reconduzires os sobreviventes de Israel. Farei de ti a luz das nações, para que a minha salvação chegue até aos confins da terra».
Palavra do Senhor.

SALMO – 138 (139), 1-3.13-14ab.14c-15 (R. 14a)

Refrão: Eu Vos dou graças, Senhor, porque maravilhosamente me criastes. Repete-se

Senhor, Vós conheceis o íntimo do meu ser:
sabeis quando me sento e quando me levanto.
De longe penetrais o meu pensamento:
Vós me vedes quando caminho e quando descanso,
Vós observais todos os meus passos. Refrão

Vós formastes as entranhas do meu corpo
e me criastes no seio de minha mãe.
Eu Vos dou graças
por me terdes feito tão maravilhosamente:
admiráveis são as vossas obras. Refrão

Vós conhecíeis já a minha alma
e nada do meu ser Vos era oculto,
quando secretamente era formado,
modelado nas profundidades da terra. Refrão

II LEITURA – Actos 13, 22-26

«depois de mim, vai chegar Alguém, a quem eu não sou digno de desatar as sandálias dos seus pés.»

Leitura dos Actos dos Apóstolos
Naqueles dias, Paulo falou deste modo: «Deus concedeu aos filhos de Israel David como rei, de quem deu este testemunho: ‘Encontrei David, filho de Jessé, homem segundo o meu coração, que fará sempre a minha vontade’. Da sua descendência, como prometera, Deus fez nascer Jesus, o Salvador de Israel. João tinha proclamado, antes da sua vinda, um baptismo de penitência a todo o povo de Israel. Prestes a terminar a sua carreira, João dizia: ‘Eu não sou quem julgais; mas depois de mim, vai chegar Alguém, a quem eu não sou digno de desatar as sandálias dos seus pés’. Irmãos, descendentes de Abraão e todos vós que temeis a Deus: a nós é que foi dirigida esta palavra de salvação».
Palavra do Senhor.

EVANGELHO –  Lc 1, 57-66.80

O nascimento de João.

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Lucas
Naquele tempo, chegou a altura de Isabel ser mãe e deu à luz um filho. Os seus vizinhos e parentes souberam que o Senhor lhe tinha feito tão grande benefício e congratularam-se com ela. Oito dias depois, vieram circuncidar o menino e queriam dar-lhe o nome do pai, Zacarias. Mas a mãe interveio e disse: «Não, Ele vai chamar-se João». Disseram-lhe: «Não há ninguém da tua família que tenha esse nome». Perguntaram então ao pai, por meio de sinais, como queria que o menino se chamasse. O pai pediu uma tábua e escreveu: «O seu nome é João». Todos ficaram admirados. Imediatamente se lhe abriu a boca e se lhe soltou a língua e começou a falar, bendizendo a Deus. Todos os vizinhos se encheram de temor e por toda a região montanhosa da Judeia se divulgaram estes factos. Quantos os ouviam contar guardavam-nos em seu coração e diziam: «Quem virá a ser este menino?». Na verdade, a mão do Senhor estava com ele. O menino ia crescendo e o seu espírito fortalecia-se. E foi habitar no deserto até ao dia em que se manifestou a Israel.
Palavra da salvação.

NASCIMENTO DE S. JOÃO BAPTISTA – NO ANÚNCIO DO SALVADOR

Hoje, na festividade de João Baptista, a Liturgia da festa sobrepõe-se à Liturgia do XII domingo do tempo comum. João Baptista foi o precursor. Anunciado a Zacarias que aceitou o desafio que de Deus lhe vinha, gerado em Isabel, apesar da sua velhice, foi para Maria sinal de que para Deus não havia impossíveis. O anjo Gabriel pôde dizer a Maria que Isabel estava já no sexto mês da sua gravidez, aquela a quem todos chamavam estéril. É este menino envolvido em milagre que Deus chama para ser o precursor do seu Filho Jesus. “Ele não era a Luz, mas veio para dar testemunho da Luz” (Jo 1, 8). Ele pregou a penitência e baptizou na água, proclamando que Jesus baptizaria também no Espírito. Ele assumiu com humildade que era apenas uma voz e, enquanto tal, era preciso que Jesus crescesse e ele diminuisse (cf Jo 3, 30). ele, na sua interpelação, fez exigências a Herodes e acabou condenado à morte na dança de Salomé e na vingança de Herodíades. É esta figura ímpar do precursor que a Igreja hoje celebra. Na Palavra de Deus, o profeta Isaías faz por antecipação o elogio do precursor (1ª leitura), depois Lucas, o evangelista, descreve o nascimento de João (Evangelho) e finalmente, num maravilhoso discurso de Paulo revela-se que Jesus é descendente de David e proclamado por João como Salvador (2ª leitura).

1. O anúncio profético de um mensageiro
O Povo de Israel está há muito no cativeiro da Babilónia. É preciso alimentar a esperança do povo em sofrimento. De muitas maneiras, o profeta Isaías anunciara o Messias. No texto que hoje é proclamado, fala-se daquele que veio preparar os caminhos para a chegada do Senhor. São expressões de muita beleza que são usadas pelo profeta: “o Senhor chamou-me desde o ventre de minha mãe” (Is 49, 1), “tu és o meu servo Israel mas eu cansei-me das tuas infidelidades, farei de ti a luz das nações” (cf. Is 49, 4-6). Estas expressões revelam a urgência de uma redenção que pede um precursor para anunciar quem vem salvar. É a linguagem profética que anuncia João, aquele que virá para aplanar os caminhos do Senhor.

2. O nascimento de João
É interessantíssimo o movimento dos personagens neste texto do Evangelho: Zacarias, que emudeceu com a responsabilidade que Deus lhe confiou; Isabel, que espera ansiosa o nascimento do menino, porque ele ia nascer quando ela já tinha muita idade; o grupo de familiares e amigos que não entendiam porquê pôr o nome de João à criança que ia nascer. Zacarias confirmou o nome de João que Isabel escolhera, simplesmente porque o seu filho era maravilhoso dom de Deus. Todos se perguntavam quem viria a ser aquele menino, mas a sua missão estava traçada, seria o precursor do Messias.

3. A missão de João Baptista
Paulo fala para as comunidades judaicas. Todos os ouvintes têm que compreender que Jesus vem completar as escrituras. Então, anuncia-O como descendente de David, e refere que João Baptista foi o escolhido para anunciar Jesus como o Senhor que veio para salvar. No conjunto dos três textos é fácil compreender que também os cristãos, agora, têm o dever de colaborar na salvação anunciando Jesus como o Senhor. Assim, como o Baptista soube dizer que Ele cresça e que eu diminua assim, também os cristãos de hoje deverão saber esgotar-se para que o nome de Jesus seja conhecido e o testemunho cristão seja a alavanca para a transformação radical do mundo. Os valores de Jesus e do Evangelho são essenciais para a construção do mundo novo.

Monsenhor Vítor Feytor Pinto (in Revista LiturgiaDiária, ed. Paulus)

Comments are closed.