SAGRADA FAMÍLIA DE JESUS, MARIA E JOSÉ-27 de Dezembro de 2015

«Teu pai e eu andávamos aflitos à tua procura».

Jesus respondeu-lhes: «Porque Me procuráveis?

Não sabíeis que Eu devia estar na casa de meu Pai?»

(Lc 2,  49)

I LEITURA – Sir 3, 3-7.14-17a (gr. 2-6.12-14)

O elogio da vida familiar

Leitura do Livro de Ben-Sirá
Deus quis honrar os pais nos filhos e firmou sobre eles a autoridade da mãe. Quem honra seu pai obtém o perdão dos pecados e acumula um tesouro quem honra sua mãe. Quem honra o pai encontrará alegria nos seus filhos e será atendido na sua oração. Quem honra seu pai terá longa vida, e quem lhe obedece será o conforto de sua mãe. Filho, ampara a velhice do teu pai e não o desgostes durante a sua vida. Se a sua mente enfraquece, sê indulgente para com ele e não o desprezes, tu que estás no vigor da vida, porque a tua caridade para com teu pai nunca será esquecida e converter-se-á em desconto dos teus pecados.
Palavra do Senhor.

SALMO – 127 (128), 1-2.3.4-5 (R. cf. 1)

Refrão:Felizes os que esperam no Senhor
e seguem os seus caminhos. Repete-se

Ou: Ditosos os que temem o Senhor,
ditosos os que seguem os seus caminhos. Repete-se

Feliz de ti, que temes o Senhor
e andas nos seus caminhos.
Comerás do trabalho das tuas mãos,
serás feliz e tudo te correrá bem. Refrão

Tua esposa será como videira fecunda,
no íntimo do teu lar;
teus filhos serão como ramos de oliveira,
ao redor da tua mesa. Refrão

Assim será abençoado o homem que teme o Senhor.
De Sião te abençoe o Senhor:
vejas a prosperidade de Jerusalém,
todos os dias da tua vida. Refrão

II LEITURA – Col 3, 12-21

A unidade, a harmonia e o amor na vida de familia.

Leitura da Epístola do Apóstolo São Paulo aos Colossenses
Irmãos: Como eleitos de Deus, santos e predilectos, revesti-vos de sentimentos de misericórdia, de bondade, humildade, mansidão e paciência. Suportai-vos uns aos outros e perdoai-vos mutuamente, se algum tiver razão de queixa contra outro. Tal como o Senhor vos perdoou, assim deveis fazer vós também. Acima de tudo, revesti-vos da caridade, que é o vínculo da perfeição. Reine em vossos corações a paz de Cristo, à qual fostes chamados para formar um só corpo. E vivei em acção de graças. Habite em vós com abundância a palavra de Cristo, para vos instruirdes e aconselhardes uns aos outros com toda a sabedoria; e com salmos, hinos e cânticos inspirados, cantai de todo o coração a Deus a vossa gratidão. E tudo o que fizerdes, por palavras ou por obras, seja tudo em nome do Senhor Jesus, dando graças, por Ele, a Deus Pai. Esposas, sede submissas aos vossos maridos, como convém no Senhor. Maridos, amai as vossas esposas e não as trateis com aspereza. Filhos, obedecei em tudo a vossos pais, porque isto agrada ao Senhor. Pais, não exaspereis os vossos filhos, para que não caiam em desânimo.
Palavra do Senhor.

ALELUIA – Col 3, 15a.16a

Refrão: Aleluia. Repete-se

Reine em vossos corações a paz de Cristo,
habite em vós a sua palavra. Refrão

EVANGELHO – Lc 2, 41-52

Jesus é encontrado por seus pais no meio dos doutores

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Lucas
Os pais de Jesus iam todos os anos a Jerusalém, pela festa da Páscoa. Quando Ele fez doze anos, subiram até lá, como era costume nessa festa. Quando eles regressavam, passados os dias festivos, o Menino Jesus ficou em Jerusalém, sem que seus pais o soubessem. Julgando que Ele vinha na caravana, fizeram um dia de viagem e começaram a procurá-l’O entre os parentes e conhecidos. Não O encontrando, voltaram a Jerusalém, à sua procura. Passados três dias, encontraram-n’O no templo, sentado no meio dos doutores, a ouvi-los e a fazer-lhes perguntas. Todos aqueles que O ouviam estavam surpreendidos com a sua inteligência e as suas respostas. Quando viram Jesus, seus pais ficaram admirados; e sua Mãe disse-Lhe: «Filho, porque procedeste assim connosco? Teu pai e eu andávamos aflitos à tua procura». Jesus respondeu-lhes: «Porque Me procuráveis? Não sabíeis que Eu devia estar na casa de meu Pai?». Mas eles não entenderam as palavras que Jesus lhes disse. Jesus desceu então com eles para Nazaré e era-lhes submisso. Sua Mãe guardava todos estes acontecimentos em seu coração. E Jesus ia crescendo em sabedoria, em estatura e em graça, diante de Deus e dos homens.
Palavra da salvação.

A FAMÍLIA DE NAZARÉComentários de Monsenhor Vítor Feytor Pinto

A família de Jesus, vivendo em Nazaré depois do regresso do Egipto, tinha o ritmo de vida normal em qualquer família da Galileia. José trabalhava em carpintaria, fazendo arados e outras alfaias agrícolas, Maria orientava as lides da casa, como o fazia qualquer mulher e Jesus crescia em idade, em sabedoria e em graça diante de Deus e dos homens. O mais belo desta família era a vulgaridade. Ali não se faziam milagres, nem havia soluções vindas directamente de Deus. Talvez seja por isso, que a Igreja quer celebrar neste dia a Festa da Sagrada Família, considerando a família de Nazaré uma referência para qualquer família cristã. Toda a gente tem consciência de que a família sofre hoje uma grande crise. Não é só a multiplicidade de modelos de família é, sobretudo, a ideia de que a família perdeu a sua identidade.

Para os cristãos a família é uma comunidade de pessoas ao serviço da vida para o desenvolvimento da humanidade (cf FC). Uma família com estas características vive o amor até à comunhão plena, serve a vida, não apenas transmitindo-a mas também educando-a, constroi uma nova humanidade com os essenciais valores de referência, a verdade, a justiça, a liberdade e a paz. A família de Nazaré era assim. E, é por isso que a Igreja a oferece hoje como eventual modelo a seguir. Uma família iluminada pela força do evangelho tem estabilidade, vive a fidelidade, consagra a alegria e a felicidade. Com verdade, João Paulo II, na Exortação Pastoral, Christifideles Laici, define família como “o espaço social onde a vida nasce, cresce e se desenvolve até à felicidade de todos os seus membros (cf CfL).

O trabalho de José e de Maria na educação de seu filho era absolutamente normal. Jesus que fora criança a precisar de todos os cuidados, tornou-se adolescente com as suas normais tendências de autonomia. Recorde-se a subida ao templo quando Ele tinha 12 anos. A harmonia e a fidelidade vivida durante a vida privada de Jesus pode ser uma referência para todas as famílias cristãs. Apoios para esta harmonia familiar são sem dúvida as recomendações de Ben-Sirá (I leitura), as virtudes essenciais (Col) e, finalmente, a normalidade da vida de Jesus, Maria e José (Lc).

 

Comments are closed.