BAPTISMO DO SENHOR – 10 de Janeiro de 2016

Baprtismo de Cristo

“E DOS CÉUS FEZ-SE OUVIR UMA VOZ:

«TU ÉS O MEU FILHO MUITO AMADO,

EM TI PUS TODA A MINHA COMPLCÊNCIA».” 

(Lc 3, 22)

I LEITURA – Is 42, 1-4.6-7

«Eis o meu servo, enlevo da minha alma»

Leitura do Livro de Isaías
Diz o Senhor: «Eis o meu servo, a quem Eu protejo, o meu eleito, enlevo da minha alma. Sobre ele fiz repousar o meu espírito, para que leve a justiça às nações. Não gritará, nem levantará a voz, nem se fará ouvir nas praças; não quebrará a cana fendida, nem apagará a torcida que ainda fumega: proclamará fielmente a justiça. Não desfalecerá nem desistirá, enquanto não estabelecer a justiça na terra, a doutrina que as ilhas longínquas esperam. Fui Eu, o Senhor, que te chamei segundo a justiça; tomei-te pela mão, formei-te e fiz de ti a aliança do povo e a luz das nações, para abrires os olhos aos cegos, tirares do cárcere os prisioneiros e da prisão os que habitam nas trevas».
Palavra do Senhor.

SALMO – 28 (29), 1a.2.3ac-4.3b.9b-10 (R. 11b)

Refrão: O Senhor abençoará o seu povo na paz. Repete-se

Tributai ao Senhor, filhos de Deus,
tributai ao Senhor glória e poder.
Tributai ao Senhor a glória do seu nome,
adorai o Senhor com ornamentos sagrados. Refrão

A voz do Senhor ressoa sobre as nuvens,
o Senhor está sobre a vastidão das águas.
A voz do Senhor é poderosa,
a voz do Senhor é majestosa. Refrão

A majestade de Deus faz ecoar o seu trovão
e no seu templo todos clamam: Glória!
Sobre as águas do dilúvio senta-Se o Senhor,
o Senhor senta-Se como Rei eterno. Refrão

II LEITURA – Actos 10, 34-38

«Deus ungiu com a força do Espírito Santo a Jesus de Nazaré, que passou fazendo o bem».

Leitura dos Actos dos Apóstolos
Naqueles dias, Pedro tomou a palavra e disse: «Na verdade, eu reconheço que Deus não faz acepção de pessoas, mas, em qualquer nação, aquele que O teme e pratica a justiça é-Lhe agradável. Ele enviou a sua palavra aos filhos de Israel, anunciando a paz por Jesus Cristo, que é o Senhor de todos. Vós sabeis o que aconteceu em toda a Judeia, a começar pela Galileia, depois do baptismo que João pregou: Deus ungiu com a força do Espírito Santo a Jesus de Nazaré, que passou fazendo o bem e curando todos os que eram oprimidos pelo demónio, porque Deus estava com Ele».
Palavra do Senhor.

ALELUIA- c f. Mc 9, 6

Refrão: Aleluia. Repete-se
Abriram-se os céus e ouviu-se a voz do Pai:
«Este é o meu Filho muito amado: escutai-O». Refrão

EVANGELHO – Lc 3, 15-16.21-22

O baptismo de Jesus.

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Lucas
Naquele tempo, o povo estava na expectativa e todos pensavam em seus corações se João não seria o Messias. João tomou a palavra e disse-lhes: «Eu baptizo-vos com água, mas vai chegar quem é mais forte do que eu, do qual não sou digno de desatar as correias das sandálias. Ele baptizar-vos-á com o Espírito Santo e com o fogo». Quando todo o povo recebeu o baptismo, Jesus também foi baptizado; e, enquanto orava, o céu abriu-se e o Espírito Santo desceu sobre Ele em forma corporal, como uma pomba. E do céu fez-se ouvir uma voz: «Tu és o meu Filho muito amado: em Ti pus toda a minha complacência».
Palavra da salvação.

BAPTISMO DO SENHOR – NA FORÇA DO ESPÍRITO Comentários de Monsenhor Vítor Feytor Pinto

Com o baptismo no Rio Jordão, rito de iniciação proposto por João Baptista, começa a vida pública de Jesus. Naquele tempo, João Baptista revelara-se como o grande profeta que pregava a penitência. Muitos acorriam às águas do Jordão para nelas serem baptizados. Como ecénio que era, João recomendava mudanças radicais de vida: quem tem duas túnicas dê uma, cumpram todos os seus deveres sociais, os soldados contentem-se com o seu soldo (cf Lc). Muitos desciam até às águas do Jordão e eram baptizados. Jesus quis inserir-se na vida normal do seu povo. Quando João lhe deu o Baptismo ouviu-se uma voz que dizia: “Este é o meu Filho muito amado, em quem eu pus toda a minha ternura. Escutai-O” (Mt 17, 5). Sobre a sua cabeça desceu o Espírito em forma de pomba. Foi esta a grande manifestação, reveladora de que Jesus era o Filho de Deus.Este episódio narrado no Evangelho de S. Lucas tem 3 características: Jesus sujeita-se a todos os rituais que são a marca do povo judaico no seu tempo; João Baptista refere expressamente que Ele é o Messias, o Cordeiro de Deus que vem a este mundo; o novo baptismo que ele inicia é um baptismo no Espírito, na força que vem de Deus. Se o baptismo de João era o baptismo de água, baptismo de penitência, o baptismo de Jeuss será um baptismo no fogo, baptismo no Espírito, na luz que vem de Deus.

Na liturgia de hoje, Isaías fala do espírito de justiça: “Eis o meu servo, o meu eleito, sobre Ele fiz repousar o meu espírito para que leve a justiça às nações” (cf Is 42, 4).

João Baptista reconhece Jesus como Messias, considera-se não digno de desatar as correias das suas sandálias.

Finalmente, Pedro nos Actos dos Apóstolos reconhece que a mensagem de Cristo é universal. Quem recebe o Baptismo na força do Espírito leva a mensagem da justiça a todos os povos.

A liturgia desta festa do Baptismo do Senhor permite ao cristão recordar o seu próprio Baptismo, sacramento da fé. De facto, o Baptismo que o cristão recebe, no sinal da água é purificador, no sinal do fogo é iluminador, no sinal do óleo santo perfumado exige o testemunho permanente.

 

Comments are closed.