CONFIRMADOS NA FÉ – 14 de Junho de 2015

1. Os cristãos são reconhecidos, na cidade dos homens, pela sua fé, pela sua “adesão à pessoa de Jesus Cristo”. Depois, testemunham essa mesma fé pelo amor que dispensam a todos os outros. Com razão, o apóstolo Tiago diz que “a fé sem obras é morta” (Tg 2). Também o Papa Bento XVI, no Ano da Fé, afirma que a fé sem a caridade, isto é, sem obras de amor, é espiritualismo desencarnado. Acrescenta, porém, que a caridade sem a fé é ruído que dá origem a inúmeras dúvidas (cf PF 14). Poderá, então, perguntar-se como será possível confirmar a fé. A fé revela-se:

. Na maneira de estar na vida, com os valores que orientam os cristãos, com as escolhas que se fazem, com os objectivos que se propõem.

. Na atenção aos outros, sobretudo aos mais frágeis e que mais sofrem, aos pobres e marginalizados, às crianças em dificuldade e aos idosos em solidão.

. Na relação com Deus, através da oração, da celebração litúrgica, na participação do culto, na contemplação da natureza onde o próprio Deus se revela e na adoração ao Senhor em quem se acredita.

. Na pertença à comunidade cristã através da qual se realizam no mundo as Obras de Misericórdia, corporais e espirituais, gestos de amor generoso e gratuito.

A confissão de fé foi pedida expressamente por Jesus no Evangelho “todo aquele que me confessar diante dos homens, Eu próprio o confessarei também diante do meu Pai que está nos céus” (Mt 10, 32).

2. É a comunidade cristã que confirma na fé. Quando alguém vive com exigência a sua fé, todos os outros reparam na verdade da sua vida e o reconhecem como cristão. O que conta não são as palavras, é a afirmação clara da adesão à pessoa de Jesus Cristo nos mais importantes momentos da vida. A Igreja quis, por isso, instituir sacramentos que são “sinais que exprimem a fé e a fortalecem”. Cada etapa da vida é confirmada por um Sacramento da Igreja. Há, porém, três sacramentos que se consideram de iniciação cristã. São eles: o Baptismo, a Confirmação e a Eucaristia. Na adesão de um adulto à fé cristã os três sacramentos são celebrados ao mesmo tempo. No desenvolvimento cristão de uma criança, os três sacramentos celebram-se ao ritmo do crescimento humano: o Baptismo é pedido pelos pais, para as crianças pequeninas; a Comunhão (Eucaristia) é preparada na catequese paroquial, permitindo à criança de 8 anos sentar-se pela primeira vez à mesa da Ceia do Senhor; a Confirmação é desejada pelo adolescente ou pelo jovem na proximidade da sua vida adulta, quando se sente preparado para dar testemunho de Cristo em toda a parte. Vale a pena reflectir sobre cada um destes três Sacramentos:

. No Baptismo o catecúmeno pede para afirmar a sua fé à comunidade cristã. Ele já é cristão porque já aderiu à pessoa de Jesus, mas vai pedir à comunidade que o admita para pertencer de pleno direito à Igreja. Pela água purifica-se do mal; pela luz, do círio pascal, aceita a pessoa de Jesus como orientador da sua inteligência e da sua vontade; pelo óleo santo perfumado compromete-se a dar testemunho de Cristo em toda a parte.

. Na Confirmação o cristão, já baptizado, recebe a virtude do Espírito Santo com a plenitude de todos os seus dons. É a sua inteligência, a sua vontade, a sua sensibilidade afectiva que ficam possuídos pelo Espírito, tornando-o capaz de ser em tudo testemunha do Evangelho. O Espírito Santo, recebido no Crisma, vai frutificar em alegria, amor, paz, paciência, bondade e domínio de si próprio (cf Gl 5, 22). Confirmado na fé, o cristão pode ir ao encontro do mundo para o transformar.

. Na Eucaristia recebe-se o Corpo e o Sangue de Jesus, um alimento que dá a vida eterna. O Papa Francisco, afirmando que a Eucaristia é a síntese e expressão máxima de toda a vida sacramental, acrescenta, porém, “que não é um prémio para pessoas perfeitas, mas é antes um remédio e um alimento para os mais frágeis” (EG 47). Esta visão do Sacramento do Corpo e Sangue de Jesus aumenta a esperança do pecador, que encontra em Jesus Sacramentado um manancial redentor para a sua vida.

Estes três sacramentos têm de ser revisitados constantemente. Cada um deles tem um dinamismo próprio: o da pertença à Igreja, no Baptismo; o do testemunho na ordem temporal para uma mundividência cristã de todos os acontecimentos, na Confirmação; a certeza da força regeneradora recebida na participação do Corpo e Sangue de Jesus, na Eucaristia. Os sacramentos da iniciação cristã são referência para o cristão ao longo de toda a sua vida.

3. Todos os anos na comunidade cristã do Campo Grande é administrado o Sacramento do Crisma. Este ano, a celebração envolve muitas dezenas de cristãos. São os adolescentes que concluem a sua formação com o 8º catecismo, são os jovens que com 17 ou 18 anos estão a entrar nas faculdades, são muitos adultos que não tinham dado conta da importância do Sacramento do Crisma para a sua caminhada de cristãos na Igreja e no mundo. A festa que se celebra neste 13 de Junho tem em consideração 4 elementos que mobilizam toda a comunidade:

. Os candidatos, 73 cristãos que querem afirmar o seu testemunho de fé no coração do mundo, já se comprometeram em carta enviada ao Sr. Patriarca em muitas actividades que na Igreja e no mundo poderão realizar.

. O ministro do Sacramento é este ano o Senhor D. Joaquim Mendes, Bispo Auxiliar do Patriarcado, responsável pastoral pela área de Lisboa. O Senhor D. Joaquim amigo desta Paróquia do Campo Grande, é acolhido por todos com a maior alegria.

. A matéria do Sacramento é o óleo misturado com bálsamo que foi benzido pelo Senhor Patriarca na Missa Crismal, em Quinta-Feira Santa.

. A Comunidade Cristã que acolhe com entusiasmo os crismandos e lhes pede a maior colaboração para ser “Igreja em saída” respondendo ao “sonho missionário de chegar a todos”.

Em cada ano que passa, a comunidade cristã do Campo Grande cresce com cristãos que pelo Sacramento da Confirmação, afirmam mais a sua fé e garantem mais o seu testemunho cristão no mundo.

4. É com a maior alegria que toda a comunidade celebra aqui e agora o Sacramento do Crisma que a todos confirma na fé e a todos fortalece.

Pe. Vitor Feytor Pinto - Prior

Comments are closed.