É NATAL – 27 de Dezembro de 2015

1. Quando o Menino Jesus nasceu, uma estrela brilhou sobre o mundo, uma luz iluminou a terra inteira e a alegria encheu a vida de todas as pessoas. Ele fora prometido desde o princípio do tempo. Isaías e Malaquias, profetas do Povo de Israel, tinham-n’O anunciado. Maria visitada pelo Anjo Gabriel aceitara servir o Senhor como Ele quisesse. Passados 9 meses Jesus nasceu em Belém, cidade de David, e a humanidade desde há mais de 2000 anos vem celebrando, por todos os lugares, o Nascimento do Menino Deus. É o Natal do amor. 

. É a festa das crianças. Em todos os lugares, os mais pequeninos são motivo para expressões de ternura. Os presentes, as guloseimas, o carinho dos pais e dos avós, tudo são formas de dizer às crianças como são amadas. 

. É a festa das famílias. As pessoas, mesmo as que vivem mais longe, regressam à casa onde nasceram, para, ali, num ambiente de alegria, confirmarem o amor que vence as divergências e aproxima os corações. 

. É a festa dos mais pobres. Multiplicam-se os cabazes de Natal para ser possível a consoada em todas as casas. Reúnem-se os sem-abrigo para uma grande ceia de Natal. Mesmo em lugares onde há muito sofrimento, hospitais, centros de saúde, lares, acendem-se luzes em árvores de Natal que revelam o tempo de alegria. 

. É a festa dos que se sentem sós. Quantas pessoas que não têm família e estão perdidas na cidade! Nas vésperas do Natal alguém bate à porta. Traz um sorriso, a certeza de um carinho, um presente pequenino, um bolo-rei, de tal maneira que a casa, que parecia um deserto, se transfigura completamente.

Mas o Natal é sobretudo a Festa do Nascimento do Menino Jesus. Foi Deus Pai que O deu ao mundo, por amor, para que o mundo seja salvo. Foi Deus Filho que se fez homem e, após a morte na cruz, ressuscitou para uma vida partilhada com todos os seus irmãos. Foi o Espírito Santo que, através de Maria, O fez presente na humanidade, presença de redenção e salvação. Esta é a Festa do Menino Jesus.

2. A Festa de Natal, vivida em ambiente cristão, não é feita de pinheiros altos, com estrelinhas e outros enfeites pendurados; também não é feita dos doces que a tradição consagra, as filhoses, os coscorões, as broinhas, os velhoses, os bolos-rei; não é feita dos muitos presentes que se compram para satisfazer as crianças ou para agradecer favores; a Festa de Natal não se caracteriza pelo sucesso comercial ou pela harmonia dos concertos. A Festa de Natal, numa perspectiva cristã, tem três dimensões: 

.  A afirmação da fé, porque se acredita que nasceu o Redentor, o Salvador, Aquele por quem veio ao mundo a justiça, o amor e a paz. 

. A garantia de esperança, porque com a presença de Jesus é possível vencer as dificuldades do dia a dia, construir relações de ternura, de perdão e de reconciliação, viver os valores do Evangelho, os únicos que podem transformar o mundo. 

. O compromisso na caridade, porque só com o amor vivido em todo o lugar se podem transfigurar as famílias, as escolas, os lugares de trabalho, os tempos de encontro entre as pessoas. Será Natal sempre que cada um se dispuser a acolher o outro, a aceitá-lo, a servi-lo, a estar com ele de mãos dadas, para se alcançar o bem-comum.

Para todos um Santo Natal.

  Pe. Vítor Feytor Pinto-Prior 

Comments are closed.